Da mudez

Não sei onde as palavras pecaram por excesso ou falta. Sei que são os atos que nos definem, mas também preciso de palavras. Intuo no teu olhar, na maneira como sinto o teu corpo no meu, que te faço falta.

Mas gostava de ouvir que te lembras de mim quando te deitas e quando acordas, ou apenas quando a luz incide no rio de forma especial, refletindo a catedral e sentes que eu não estou aí para o comentares comigo.

Gostava de saber que o sentes, mesmo que não o digas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s